• Facebook
  • LinkedIn
  • Instagram

Exames oftalmológicos


Os exames oftalmológicos servem de alerta para diversas patologias não oculares, como hipertensão, diabetes e tumores também, além de serem vitais para a saúde dos olhos. Confira os exames oftalmológicos recomendados:

Acuidade visual

Esse é o teste oftalmológico mais comum em que o médico oftalmologista projeta letras e mede a capacidade funcional de visão do paciente, assim, é possível verificar distúrbios de refração.

Mapeamento de retina

O paciente precisa utilizar colírios para dilatar as pupilas antes de realizar esse exame.

O mapeamento de retina é um exame simples, realizado durante a consulta com o oftalmologista utilizando um aparelho chamado oftalmoscópio, possibilitando a observação de alterações da retina, nervo óptico e vasos sanguíneos. Pode ser indicado em bebês prematuros também.

Retinografia

É o exame que registra por meio de fotos o fundo de olho e as alterações encontradas, o que possibilita observar mudanças ao longo do tempo.

Optoma

Tipo de retinografia que é capaz de capturar áreas da periferia da retina, as quais são mais difíceis de visualizar.

Angiofluoresceinografia

Após a injeção de um contraste na veia do braço do paciente, são feitas as fotos do fundo do olho. Examina os vasos retinianos e registra alterações como vazamentos e edema indicado para diagnóstico e orientação terapêutica.

Neste exame, é injetado um contraste ou corante fluorescente que entra na circulação da retina e da coróide, localizadas no fundo do olho.

Potencial de acuidade macular (PAM)

Em pacientes com baixa visão causada pela catarata em que há suspeita de outra doença ocular, este exame avalia o potencial de visão do olho após a realização da cirurgia.

Tomografia de coerência óptica

O tempo para a realização de todo o exame é de cerca de 15 minutos. Auxilia a detectar condições oculares de maneira precoce, como glaucoma, degeneração macular relacionada à idade e retinopatia diabética.

Passo a passo do exame: retirar as lentes de contato (caso utilize), dilatação da pupila com o uso de colírios, o paciente é posicionado de frente para o aparelho, com o rosto virado para ele, o aparelho emite um feixe de luz com intensidade próxima ao infravermelho (não provoca desconforto), que capta as imagens das estruturas oculares.

Ecobiometria

Por meio do ultrassom mede o comprimento do olho e calcula a lente intraocular para ser utilizada na cirurgia de catarata.

Ultrassom

Examina as estruturas oculares quando existe algum tipo de opacidade que possa impedir o exame direto, como catarata total ou sangue.

Paquimetria ultrassônica

Utilizado como diagnóstico e acompanhamento de doenças como ceratocone e edema de córnea, no pré e pós operatório de cirurgias refrativas, assim como na adaptação de lentes de contato através da medição da espessura da córnea.

Topografia de Córnea ou Ceratoscopia Computadorizada

Esse exame analisa o relevo da córnea e registra os dados em um mapa de cores. Importante para o diagnóstico de doenças, como o ceratocone e cálculo da lente intraocular utilizada na cirurgia de catarata.

Pentacam

Analisa as curvaturas anterior e posterior da córnea. É essencial na avaliação pré operatória de cirurgias refrativas.

Microscopia especular da córnea

Possibilita a contagem e a análise das células endoteliais através da fotografia da superfície interna da córnea.

Curva de pressão ocular

São medidas da pressão ocular em diferentes períodos do dia, com o intuito de avaliar o comportamento e as variações de cada paciente.

Campimetria

Avalia o campo visual dos olhos, sendo bastante eficaz para diagnosticar diversas doenças da visão, como: glaucoma, doenças da retina, alterações do campo visual e verifica a presença de alterações de doenças neurológicas.

Se você se identifica com sintomas de patologias oculares ou conhece alguém que esteja precisando de auxílio, não deixe para depois, agende uma consulta.

Clique aqui e entre em contato com a Clínica da Cidade Jundiaí.

Marque já sua consulta!





Bee Creative