• Facebook
  • LinkedIn
  • Instagram

Ginecologia Obstetrícia: Tudo O Que Você Precisa Saber!

ginecologia obstetrícia

Aqui vamos ilustrar o que é comum à especialidade. Porém, o papel da médica especialista é essencial e é ela quem vai determinar o que é melhor para cada situação. No caso da ginecologia obstetrícia, ela poderá ser a médica mais presente na vida da mulher. Veja:

O que é a Ginecologia Obstetrícia

Você já deve ter lido o que é ginecologia e visto que a obstetrícia é uma área dentro da ginecologia. Logo, a ginecologia obstetrícia é uma área que abrange as duas especialidades.
Apesar de muitas ginecologistas terem especialidade também em obstetrícia, isso não é uma regra. Por isso há a especialidade de ginecologia obstetrícia – a famosa GO. Assim, essa profissional fica responsável tanto pela rotina de saúde da mulher, quanto da sua gestação, do parto e do puerpério (pós-parto).
Por isso, esta especialidade da medicina está entre as mais completas. Isso porque ela consegue atuar em todos os níveis de atendimento: desde o ambulatorial, passando pelo hospitalar, clínico, cirúrgico até o laboratorial. Isso sem contar a presença quase que constante na vida das mulheres.

Como a ginecologia obstetrícia surgiu

Pode ser que a grande maioria das mulheres já se viu envolvida numa conversa sobre gravidez e, por acaso, alguém disse:
“Mas nascem bebês desde o início dos tempos! Uma parteira resolve tudo!”.
Realmente os bebês nascem desde o início dos tempos.
O fato é que, antes do surgimento da obstetra, o papel da parteira era de assistir ao parto, auxiliando no que fosse preciso. Assim, só haveria interferência (de um médico) se houvesse alguma complicação.
Dessa forma, o papel da obstetra só passou a ser visto com a importância necessária quando a própria obstetrícia foi reconhecida como uma ciência e uma especialidade dentro da medicina.
Em verdade, a obstetra é uma médica e, por isso, possui conhecimentos muito mais profundos sobre o corpo humano e sobre a ciência obstétrica.
Ou seja, um profissional muito mais preparado para as diversas situações que podem intercorrer durante os momentos da gestação; ainda que o parto seja algo natural e inerente à espécie humana.
No Brasil, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia foi fundada no ano de 1959 em Belo Horizonte (MG).
ginecologia obstetrícia

Quando procurar um profissional da área?

Em cada momento da sua gravidez, é realmente importante que você faça um acompanhamento com um profissional especializado. Veja:

Planejamento da gravidez

Se você está planejando engravidar, este pode ser o melhor momento para marcar uma consulta com uma profissional da ginecologia obstetrícia.
Isso porque você poderá tirar todas as suas dúvidas, pedir os exames necessários, receber as indicações de vacinação e até mesmo saber se há necessidade de ingerir suplementos, vitaminas e/ou ácido fólico.

Exames

Os principais exames neste momento estão relacionados a uma primeira inspeção da saúde do casal que busca engravidar.
Assim, a médica poderá avaliar qual a melhor alternativa ao casal.
Os exames podem ser de sangue para avaliar a situação hormonal do casal, bem como os de rotina para avaliar glicemia, hemograma e a existência ou não de doenças infectocontagiosas.
Além dos outros exames ginecológicos também de rotina, como o próprio papanicolau – exame de prevenção de câncer de colo de útero.

Cuidados

Os cuidados para esse momento compreendem uma alimentação saudável, prática de exercícios físicos e cuidado com a saúde mental também. Você sabia que a sua saúde mental pode impactar (e muito!) seu planejamento? Por isso, um acompanhamento psicológico também pode ser uma ótima escolha.
Tudo isso contando com as recomendações específicas da sua médica.

Pré-Natal

Se sua gravidez foi de surpresa, não precisa se assustar! Ainda dá tempo de procurar sua obstetra e tirar suas dúvidas.
Mas durante a sua gestação, alguns exames e algumas consultas de rotina são essenciais. Isso porque você poderá acompanhar o desenvolvimento do seu bebê. Assim como ter a certeza de que tudo está correndo bem e/ou tomar os devidos cuidados.

Gravidez de baixo-risco

No caso de uma gravidez de baixo-risco, os cuidados e os exames são bem mais simples e rotineiros.
Exames para Gravidez de baixo-risco
Há uma lista com os exames mais adequados a cada trimestre da gestação, no intuito de prevenir possíveis agravantes.
1º trimestre
A lista inclui:
  • Papanicolau;
  • Exame de sangue;
  • Exame de Urina;
  • Ultrassom obstétrico;
2º trimestre
A lista de exames do 2º trimestre de gestação inclui:
  • Repete-se o exame de sangue para confirmar a ausência (ou presença) de doenças infectocontagiosas e para confirmar também a tendência (ou falta dela) à diabetes gestacional;
  • O exame de urina é refeito para ter a certeza de que não há infecção urinária;
  • Ultrassom obstétrico morfológico – este auxilia na análise da formação dos órgãos fetais.
3º trimestre
No 3º trimestre, a gravidez está em sua reta final. Por isso, a lista de exames inclui:
  • Novamente o exame de sangue;
  • Assim como o exame de urina;
  • Ultrassom obstétrico – este com o intuito de avaliar o crescimento do bebê;
  • Monitoramento de líquido amniótico e das condições da placenta.
Cuidados na gestação
Uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos são essenciais em qualquer momento da vida. Então, por que seria diferente na gestação?
Durante a gestação, é possível que a mulher apresente variações de humor em decorrência de vários fatores, incluindo as alterações hormonais. Por isso, o cuidado com a saúde mental continua sendo de extrema importância neste momento.
Fisioterapia
Segundo especialistas, a partir do segundo trimestre – ou até um pouco antes, caso haja recomendação de um profissional – a mulher pode começar com exercícios passados por um fisioterapeuta para auxiliar no momento do parto.
Os exercícios que o fisioterapeuta (podendo ser especializado em fisioterapia uroginecológica) recomenda vão fortalecer o assoalho pélvico da mulher.
Mas o que isso significa?
Durante a gravidez, o peso do bebê vai sobrecarregando a musculatura da pelve da mãe. Uma das consequências disso é a compressão da bexiga da mulher, fazendo com que ela fique cada vez menos resistente.
É nesse sentido que o fortalecimento do assoalho pélvico auxilia as gestantes. Assim, quando fortalecido, deixa a bexiga mais resistente e diminui as chances de laceração no parto vaginal.

Gravidez de alto-risco

Em gestações de alto-risco, o acompanhamento com um psicólogo acaba tendo uma importância ainda maior. Justamente por apresentar riscos, a gestante deve fazer um acompanhamento psicológico para que consiga lidar com as dificuldades.
Isso sem levar em consideração que, além dos agravantes, ainda é uma gestação e a mulher passa por grandes alterações hormonais.
Além disso, as recomendações da obstetra devem ser levadas à risca!
Exercícios físicos? Somente com a autorização.
Todo cuidado deve ser levado em consideração.
Inclusive a fisioterapia que, nestes casos, pode ajudar no sistema circulatório da mulher gestante.

Parto

Então o momento do parto chegou! O bebê está pronto para nascer e os pais não aguentam mais de ansiedade.
Podendo ser cirúrgico, ou normal, o tipo de parto vai depender da vontade dos pais e também das condições de saúde da mãe e do bebê.
Ou seja, nem sempre o parto normal é possível. Tendo em vista que às vezes, para a segurança da mãe e do bebê a obstetra pode optar pelo parto cirúrgico.

Exames

No momento do pré-trabalho de parto, geralmente é feito um exame chamado cardiotocografia. Este vai fazer uma análise de bem-estar do feto para que se tenha certeza dos métodos a serem utilizados a seguir.
Enquanto a gestante se “acomoda” no hospital, os exames a serem feitos são somente para ter certeza do bem estar da mãe e do bebê.
A obstetra faz o acompanhamento do desenvolvimento dos sinais que a gestante apresenta até o momento do parto.

Pós-Parto (Puerpério)

O momento do puerpério começa assim que o parto se encerra e só termina quando os órgãos genitais da mulher voltarem às condições anteriores à gestação. Este período pode durar entre 45 e 60 dias.
Além de ser um momento de adaptação ao novo ser que se integra à família, é também o momento em que a mulher passa por grandes mudanças físicas, emocionais e hormonais.

Amamentação

Este é também o momento de adaptação da amamentação.
Sendo recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a amamentação é muito benéfica tanto à mãe, quanto ao bebê.
Entretanto, é uma prática trabalhosa e exige dedicação.

Cuidado psicológico

Entre 50 e 70% das novas mamães sentem a manifestação do que é chamado de “tristeza materna”. Este transtorno emocional pode surgir no terceiro dia do pós-parto e pode durar até 2 semanas. Outros transtornos, mas menos comuns, também podem acometer às puérperas, tal como depressão pós-parto e psicose puerperal.
Por isso, o acompanhamento psicológico se mantém sendo de extrema importância.

Exames e consultas

Segundo o Ministério da Saúde, o bebê devem retornar à consulta até o 15º dia  após o parto e a mãe até, no máximo, 40 dias depois.
É nesse primeiro atendimento que a saúde do bebê e seu desenvolvimento serão avaliados. Assim como a amamentação será examinada e também a cicatrização do parto.
Depois da primeira consulta, o bebê deve fazer um acompanhamento mensal até o primeiro ano de vida.
É extremamente importante a presença nas consultas e que se faça o acompanhamento do pós-parto com rigorosidade e responsabilidade.

O que achou do nosso conteúdo? Aproveite para agendar já a sua consulta com uma de nossas especialistas e fique em dia com a sua saúde!





Newsletter

Estamos constantemente fornecendo conteúdos institucionais, oportunidades e dicas de saúde. Para recebê-los, inscreva-se em nossa Newsletter.


Não enviamos SPAM

Bee Creative